Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Ciclo sexual feminino

Durante o ciclo sexual são criadas as condições para o aparecimento e desenvolvimento de uma nova vida, nomeadamente:

– É libertado, normalmente, um único óvulo dos ovários em cada mês, de forma a que um único embrião se desenvolva;

– É produzido um endométrio suficientemente espesso e rico em nutrientes, de forma a proporcionar as condições adequadas a uma eventual gravidez.

 

Ciclo Ovárico

Compreende todas as transformações que ocorrem mensalmente no ovário e que levam à formação e libertação do oócito. A primeira fase, fase folicular, dura cerca de 14 dias e inicia-se com o desenvolvimento de alguns folículos, dos quais apenas um atinge a maturação, dando origem ao oócito.

A ovulação, segunda fase do ciclo, ocorre ao 14º dia, e consiste na libertação do oócito para as trompas de Falópio.

A terceira fase, fase luteínica, dura cerca de 14 dias e inicia-se com a formação e desenvolvimento do corpo amarelo, que resulta do que resta do folículo, que permanece no ovário, após a libertação do oócito. No caso de não haver fecundação, à regressão do corpo amarelo no fim do ciclo, ocorrendo a menstruação.

 

Ciclo Uterino

Consiste no conjunto de mudanças que afectam mensalmente o endométrio, parede interna e esponjosa do útero à qual se fixa o embrião durante a gravidez.

Na ausência de fecundação o ciclo uterino termina com o início da menstruação. A fase menstrual dura cerca de 5 dias e resulta da ruptura dos vasos sanguíneos, descamação do endométrio e expulsão do oócito, que no seu conjunto constituem o fluxo menstrual.

À fase menstrual segue-se a fase proliferativa, na qual ocorre a reconstituição do endométrio e dos vasos sanguíneos. Esta fase dura cerca de 9 dias.

Nos 14 dias seguintes decorre a fase secretora, na qual as glândulas do endométrio produzem secreções, preparando o útero para a recepção de um possível embrião. É nesta fase que a parede uterina interna atinge o máximo da espessura.

Caso não haja fecundação segue-se uma nova fase menstrual, iniciando um novo ciclo.

 

Hormonas sexuais ováricas

As hormonas sexuais produzidas nos ovários, a progesterona e os estrogénios, são responsáveis pelo crescimento dos órgãos sexuais, pelo aparecimento e desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários, pela produção de oócitos e pelas transformações que o endométrio sofre no útero da mulher.

As hormonas ováricas, em conjunto com as hormonas hipofisárias, LH e FSH, que são produzidas pelo complexo hipotálamo-hipófise, regulam o ciclo sexual feminino através de um mecanismo de retroacção. Neste mecanismo, o aumento da produção de estrogénios e progesterona actua sobre o útero induzindo as fases proliferativa e secretora do ciclo uterino e provocando a inibição do complexo hipotálamo-hipófise.

A inibição do complexo, provoca uma diminuição da produção de hormonas hipofisárias, o que inibe os ovários, levando a que baixe a produção de progesteronas e estrogénios. Como resultado o útero deixa de ser estimulado e ocorre a fase menstrual. A diminuição da produção de progesterona e estrogénio estimula o complexo hipotálamo-hipófise, provocando um aumento da produção de hormonas hipofisárias. Este aumento leva à estimulação dos ovários que aumentam a produção de progesterona e estrogénios.

 

 

 


publicado por Luís Dias às 10:30
link do post | comentar | favorito
blogs SAPO

.subscrever feeds