Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009

Digestão

 

 
Na digestão ocorrem fenómenos físicos e químicos.
Os fenómenos físicos consistem nos processos que reduzem os alimentos a partículas progressivamente mais pequenas, aumentando a superfície destes que é exposta aos sucos digestivos.
Os fenómenos químicos da digestão consistem na actuação de substâncias químicas – as enzimas – presentes nos sucos digestivos, que transformam moléculas complexas em moléculas sucessivamente mais simples através de alterações químicas.
 
Digestão na boca – após a ingestão de alimentos que têm na sua composição os nutrientes, inicia-se o processo de digestão. A digestão inicia-se na boca, onde os alimentos sólidos são triturados pelos dentes – acção mecânica . O produto mastigado é envolvido com a saliva, produzido pelas glândulas salivares. A saliva possui amilase, enzima que inicia a digestão do amido na boca, transformando-o em maltose, um glícido mais simples. O produto das transformações químicas e mecânicas que o amido sofre na boca designa-se por bolo alimentar.
 
Deglutição – Conjunto de movimentos que permitem a passagem do bolo alimentar pela faringe e pelo esófago até ao estômago.

 

Digestão no esófago – Por deglutição o bolo alimentar passa da boca para a faringe e desta para o esófago. Os músculos das paredes do esófago contrariem-se e relaxam empurrando o bolo alimentar para baixo. Estes movimentos que conduzem o bolo alimentar até ao estômago são chamados de movimentos peristálticos.
 
 
Digestão no estômago - O bolo alimentar entra no estômago através de um esfíncter que actua como uma válvula – a cárdia, que impede que o conteúdo ácido do estômago suba para o esófago. Na parede do estômago existem glândulas gástricas que produzem o suco gástrico, que é misturado com o bolo alimentar pelos movimentos peristálticos deste órgão.
O suco gástrico é constituído por água, ácido clorídrico e enzimas, como por exemplo a pepsina, que quebra as ligações químicas das proteínas, transformando-as em péptidos mais simples.
Após a digestão no estômago, o bolo alimentar transforma-se em quimo, mistura semi-líquida de aspecto leitoso e escuro que abandona este órgão através de outro esfíncter, o piloro, entrando no duodeno, a porção inicial do intestino delgado.
O estômago demora em média 3 horas a ser esvaziado, contudo este valor depende da alimentação ingerida.  

 

 

Digestão no intestino delgado - É no intestino delgado que ocorrem os principais fenómenos da digestão química. No duodeno, o quimo é misturado com o suco pancreático produzido pelo pâncreas e com a bílis produzida pelo fígado que, neutralizam o ácido gástrico presente no quimo e criam um ambiente alcalino ideal para a activação das enzimas intestinais e pancreáticas.
Nesta fase actua também o suco intestinal que é produzido pelas glândulas do intestino delgado. O suco pancreático e o suco intestinal contêm vários tipos de enzimas que vão actuar sobre o quimo. Assim, o amido não desdobrado pela amilase salivar é desdobrado pela amilase pancreática em maltose. A maltose, a sacarose e a lactose, são também desdobradas pela acção das enzimas maltase, sacarase e lactase dando origem a açucares simples como a glicose, a frutose e a lactose. Os prótidos que não foram transformados, ou que o foram só parcialmente no estômago são desdobrados em aminoácidos pelas proteases pancreática e intestinal. Os lípidos são desdobrados pelas lipases pancreática e intestinal dando origem a ácidos gordos e a glicerol.
A bílis não tem enzimas mas desempenha um papel importante na emulsão das gorduras, isto é na sua divisão em pequenas gotículas o que vai facilitar a acção das lipases que existem nos sucos pancreático e intestinal.
Certos alimentos não sofrem digestão porque já são moléculas relativamente simples como é o caso da água, dos sais mineiras e das vitaminas. Outros, como a celulose não são digeridos porque o nosso organismo não possui enzimas capazes para a desdobrar. O produto final no intestino constitui o quilo.
 

 
Intestino grosso – A porção do quilo que não é absorvida no intestino delgado passa para o intestino grosso.
Aí vão ser absorvidos a água e sais minerais e preparadas e armazenadas as fezes , antes de serem expulsas do organismo pelo ânus.

 

 

 

 

 

 

 

                                                                              


publicado por Luís Dias às 23:39
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Genito a 17 de Maio de 2013 às 05:27
O tema foi bem formulado gostei e\' isso.


Comentar post

blogs SAPO

.subscrever feeds